Hit enter to search or ESC to close

O duo - Não Não-Eu

A Não Não-Eu é uma investigação de desejos escondidos e emoções profundas, e representa um ritual de passagem, um processo de reinvenção. As canções de Pâmilla Vilas Boas e a linha grave de Cláudio Valentin conquistaram a cena independente com o primeiro disco, que retrata o atual e moderno, com composições reflexivas.

O duo lançou seu disco de estreia, homônimo, em 2017 pelo selo PWR Records que atua nacionalmente difundindo o protagonismo feminino na música. O trabalho foi elogiado pelos principais veículos de música independente do país, tais como Tenho Mais Discos Que Amigos, Monkeybuzz, Miojo Indie, Revista Noize, New Yeah Música, e figurou entre os melhores lançamentos mundiais pelo site irlandês Super World Tunes.

Em dezembro de 2017 a Não Não-Eu entrou para o catálogo da label Blade Records do Texas e foi destaque em três blogs de Portugal especializados em música. Neste mesmo ano, o duo lançou clipe para o single “Chão”. Em 2018, a banda lançou um disco de remix, clipe para a música “eu quero fugir”, integrou o line-up do Festival Bananada, do Lacustre Festival e do Big Dia da Música em São Paulo e dividiu o palco da Autêntica com a banda Boogarins.

O duo lançou também clipe para o single “Chão”, presente no disco de estreia. Sombrio e reflexivo, o vídeo e a música evocam o desejo como força motora para novas experiências. Roteirizado pela vocalista, Pâmilla Vilas Boas e dirigido por Cláudio Valentin e Raphael Vilas Boas, o vídeo se utiliza de metáforas para simbolizar a opressão, bem como a libertação feminina. Com uma linguagem de cinema arte pulsante, a subjetividade assume a narrativa do trabalho. Assista “Chão”: https://youtu.be/c8NhPZn-nSw

O show da Não Não-Eu é uma profusão de beats e synths que envolve o público num ambiente intimista, dançante e reflexivo ao mesmo tempo. O repertório é formado por músicas autorais e por momentos de experimentação que cria uma aura única a cada show, transportando o público para uma viagem sonora que nos faz mergulhar no profundo e infinito dentro de nós.